quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A casa caiu! A enrolação da desgovernadora precisa de desfecho urgente!!


A casa da Dona Yeda caiu, não há mais o que ser dito, não há mais o que apresentar, não tem mais desculpa esfarrapada nem deputado no alto do muro, o negócio agora perdeu as rédeas de vez. É a corrupção de gente da pior das espécies, atingindo a carga máxima da safadeza...


Por Marco Weissheimer do Blog RS URGENTE
Quando, em 5 de março deste ano, este blog apresentou uma catastrófica previsão do tempo na política gaúcha, é porque já naquele momento estava formada a convicção de que a máfia que roubara 44 milhões do Detran, havia deixado rastros muito salientes pelo caminho.

Precisamente às 15h52min de hoje, 5 de agosto, o procurador federal Fredi Wagner se encarregou de comprovar aquela previsão: Yeda Rorato Crusius foi formalmente acusada de ter participado do roubo do Detran. Por razões de sigilo jurídico, o procurador não disse se Yeda operou a fraude, se ela intermediou a fraude, ou se ela ficou com dinheiro da fraude. Mas uma, ou duas, ou três dessas coisas, isso ela fez, afirmou o procurador que, por isso, pediu à Justiça que decrete o afastamento da governadora do cargo.

Nunca, antes, na história política do Rio Grande do Sul, houve qualquer coisa parecida. É a maior crise institucional de que se tem notícia no Estado. E não só porque a governadora é ré de uma ação de improbidade. Mas, também, porque seu marido, Carlos Crusius, é acusado da mesma coisa. E não só ele. Ainda o ex-Secretário Geral de Governo de Yeda, Delson Martini. E o ex-Chefe da Casa Civil de Yeda e ex-presidente do PMDB de Porto Alegre, deputado Luiz Fernando Zachia. E dois ex-presidentes da Assembleia Legislativa, deputados do PP, José Otávio Germano e Frederido Antunes, todos da base aliada da governadora. Como se não bastasse, também o ex-tesoureiro de campanha de Yeda, Rubens Bordini que hoje ocupa a vice-presidência do Banrisul no governo dela e a assessora mais próxima da governadora, seu braço-direito, Walna Vilarins Meneses foram formalmente acusados.

Toda esta gente está acusada oficialmente de ter mandado às favas a integridade, a honestidade, a honradez, a retidão e a justiça. Sim, ser probo é ser isto: íntegro, honesto, reto e justo. E a acusação que pesa sobre eles é de Improbidade. O tempo, definitivamente, fechou. E aqueles gaúchos que, por ventura, se sentirem envergonhados por tudo o que está acontecendo, que lembrem das palavras do procurador Ivan Marx ditas hoje ao justificar a ação do Ministério Público: “O povo tem direito à verdade. E que a impressão não seja de desamparo, mas de um Estado melhor”. (Maneco)

3 comentários:

MARCIO PIRES 6 de agosto de 2009 11:34  

Demorouuuu..mas chegou a hora de usarmos nossas reservas de rebeldia e nos unirmos..irmos as ruas, escolas..tomarmos frente e mostrar a toda sociedade esse embróglio que virou o goberno do estado!! A HORA É ESSSA...TODOS JUNTOS !! FORA YEDA E TODOS SEUS PYCARETASS

Thy 6 de agosto de 2009 17:42  

Agora mais do que nunca precisamos de uma juventude e uma militância ativa, que mostre a cara e vá às ruas.
Agora, precisamos de pessoas "revolucionárias", capazes de transformar a passividade vivida hoje em transformação do amanhã.
Vamos juventude, vamos Gravataí, não podemos ficar calados diante toda essa corrupção que vemos em todos os âmbitos da política - Federal e Estadual.

Pedro 6 de agosto de 2009 19:16  

E essa louca ainda tem a cara de pau de dizer que vai processar os promotores do MPF por falta de provas!
FORA YEDA JÁ!

Postar um comentário

Comunica-te, queremos tua opinião!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO